Na tela: Nebraska (2013)

Nebraska retrata a história de Woody Grant (Bruce Dern), um velho alcoólatra e teimoso que, após receber uma propaganda pelos correios (quem nunca?), acredita ter ganhado um prêmio de um milhão de dólares. E ele decide, então, partir de Montana – onde vive – em direção a Lincoln, Nebraska, lugar indicado no anúncio para a retirada do prêmio.

Visivelmente debilitado física e mentalmente, Woody tenta mesmo contra a vontade da família iniciar sua viagem de diversas formas, inclusive a pé já que não dirige mais devido a seu estado. É quando seu filho David, preocupado e comovido, decide levá-lo até Lincoln, sendo a viagem uma desculpa para que os dois passem um tempo juntos. Em outras palavras, a provável última oportunidade de poder conversar e entender o pai antes que ele perca a pouca sanidade que lhe resta. E essa viagem vai trazer não somente aos dois, mas também à família, reencontros, descobertas, e principalmente reaproximação. E para quem assistir virá à tona a inversão de papéis que o tempo impõe para pais e filhos.

Foto: Divulgação

Com roteiro de Bob Nelson e dirigido pelo norte-americano Alexander Payne, foi um dos filmes mais elogiados no ano de seu lançamento. Não à toa foi indicado a 6 categorias do Oscar, mas não faturou nenhum estatueta.

O filme é uma comédia dramática que intensifica o ar comovente sendo inteiro em preto e branco. E mesmo retratando (de uma maneira sutil) claramente a ganância, ele me encantou principalmente pela relação entre pai e filho e pelas peculiaridades da vida de Woody, que podem ser percebidas ao longo do filme através das histórias que ele conta, de pequenas confissões, coisas que surpreendem até seu próprio filho e me fizeram refletir/questionar sobre relacionamentos, confiança em amizades de longa data e outras questões. Acho, inclusive, quase impossível não se identificar com alguma situação vivida por Woody e sua família.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Nebraska desperta uma certa melancolia e uma reflexão muito real sobre viver, e é daqueles filmes que tocam e fazem você sentir vontade de mudar algumas coisas na sua vida assim que as letrinhas começam a subir na tela.

^C2AC964286C5B7F49A85128BB42813641D3ECA0F6277AB0C94^pimgpsh_fullsize_distr

Anúncios

4 comentários sobre “Na tela: Nebraska (2013)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s