Na Tela: A Moça do Armário (2013)

Uma das sugestões do post ‘Ajuda a gente?’ foi que continuássemos postando nossas resenhas de filmes, peças e etc. E como somos muito obedientes, cá está. A gente acha super válido compartilhar aqui nossas experiências culturais dos mais diversos tipos, até porque sempre achamos umas programações bem aleatórias, fora dos grandes circuitos e sempre rolam oportunidades de conhecer coisas muitos boas. Além de que nós esperamos sempre plantar a sementinha da curiosidade em vocês para que se deem oportunidade de conhecer o que a gente divulga e poder vivenciar suas próprias experiências.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Dessa vez eu, muito despretensiosamente, descobri o início do 6° Festival de Cinema Polonês no SESC Pinheiros, no dia que ia começar (terça-feira – 21/06). O filme de abertura foi A Moça do Armário. Mas antes de contar pra vocês sobre o filme em si, queria falar rapidinho sobre o ambiente da sala de cinema. Gente, tinha muito polonês! Tinha umas pessoas importantes tipo o embaixador da República da Polônia no Brasil, gente do consulado polonês, e o diretor regional do Sesc também apareceu pra falar aquelas palavras bonitas e tudo mais. Foi uma experiência curiosa. Mas, voltando ao filme… Ele conta, falando a grosso modo, um pouco da história dos irmãos Jacek e Tomek, e Magda, uma de suas vizinhas.

Mas não é tão simples assim… Cada um deles tem seu universo particular, meio confuso, meio solitário, uma vida sem muita regra nem rotina. Magda é uma moça introspectiva, isolada do mundo aparentemente por opção e que busca nas suas viagens – mentais, através do uso de drogas – um mundo paralelo e melhor, onde ela se sente bem e mais feliz. Já Tomek sofre de uma doença no cérebro (que não ficou tão claro se era só câncer ou se ele também sofria de algo como altismo) que basicamente impede que ele conviva normalmente em sociedade. E isso faz com que seu irmão limite sua vida também para cuidar dele,  mantendo como válvula de escape relacionamentos relâmpago e meio malucos. O ápice do filme acontece quando a vida dos três se cruza de fato é faz com que eles convivam.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O filme é bem sensível no que diz respeito a vida. Trata o tempo inteiro questões psicológicas e coloca a gente pra refletir a cada segundo sobre escolhas, sobre dor, e inclusive, quase que principalmente sobre a morte. É de preparar o lencinho e o coração, e acabar o filme se sentindo mal por ter reclamado de coisas tão banais. Pra quem curte abordagem de doenças mentais e comportamentais é um excelente longa metragem. E os atores, vou te dizer…. mandam demais!!!!!!

Eu escrevi a resenha e só de lembrar do filme o olho marejou inúmeras vezes e já deu vontade de ver de novo! Parece que o cinema polonês pode surpreender. Ainda bem ❤

^C2AC964286C5B7F49A85128BB42813641D3ECA0F6277AB0C94^pimgpsh_fullsize_distr

Anúncios

Um comentário sobre “Na Tela: A Moça do Armário (2013)

  1. Pingback: Na Tela: Deuses (2014) | Odeio Sagu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s